sábado, 3 de dezembro de 2016

Lídia Pensativa


Aquarela remete-nos para acquarella, oriundo da língua italiana. Uma aquarela é um tipo de tinta que se usa com água para pintar em cartão ou papel. O conceito também permite referir-se às cores usadas neste tipo de pintura e a este tipo de técnica artística.



Tango em Azul e Violeta


Em física, movimento é a variação de posição espacial de um objeto ou ponto material em relação a um referencial no decorrer do tempo. Na filosofia clássica, o movimento é um dos problemas mais tradicionais da cosmologia, desde os pré-socráticos, na medida em que envolve a questão da mudança na realidade. Assim, o mobilismo de Heráclito considera a realidade como sempre em fluxo. A escola eleática por sua vez, principalmente através dos paradoxos de Zenão, afirma ser o movimento ilusório, sendo a verdadeira realidade imutável.

Chuva de Dezembro



As cores quentes são aquelas que nos transmitem a sensação de calor e,portanto, estão associadas ao fogo e à luz: vermelho, laranja e amarelo. Já as cores frias transmitem a sensação de frio, associadas à água, são elas: azul, verde e violeta.

domingo, 30 de outubro de 2016

Capas de Livros



Pediram-me para fazer uma capa. Eu achei interessante. Eu precisava criar algo que tivesse a ver com o texto e transmitisse a imediata curiosidade de abrir o livro. GOSTEI. E resolvi criar outras com títulos de textos meus que nunca saíram da gaveta... E não tinha pensado que, tudo o que fiz até hoje, poderia estar na capa de muitos livros por aí.

Ontem foi o dia dedicado ao livro, 29 de outubro.
Aos livros...as mais belas capas!













terça-feira, 19 de abril de 2016

Amanhecer

Fiat lux!
Surge o sol no horizonte
E a passarinhada voa ligeira em algazarra
Doura as espigas, a luz de ouro em partículas
Reaviva o escarlate das pétalas papaverinas...
Ilumina o branco das singelas pequeninas...
E dá-se majestosa, a manhã! Começa a ópera vespertina!


Luisa Dalartesa

Elegância

Há de se concluir, em certas ocasiões específicas, que o desnível, de fato, causa decepções e transtornos entre as pessoas...Um elefante em uma loja de cristais, não produzirá boa coisa. Um porco-espinho num aquário também não. Sutileza, feminilidade e ponderação fazem muita diferença nos tratos humanos. Nestas rápidas pinceladas, eu expresso deste jeito, a elegância.


quarta-feira, 9 de março de 2016

Cascatas e Expresso

Hoje,  foram intensos e diversificados eventos...Um, não muito agradável,  porém faz parte da vida, outros alegres, proféticos e felizes. Cá estou num bom Café, buscando equilíbrio e paz durante a espera, puxando de.dentro de mim os fabulosos e calmantes sons das águas, das waterfalls, das cascatas ou quedas d'agua, como seja, que me deliciam enquanto saboreio um café cheiroso e forte tirado na hora.  Esta experiência de hoje me mostra que não importa o que a vida apresente,  a paz que buscamos está em nós mesmos.  Um bom dia! Que seja maravilhoso!..  ♡

quarta-feira, 2 de março de 2016

Anna com um Bouquet de Flores

Como muitos sabem, minha avó materna, cujo pai era francês, dizia que flores e mulheres são as pinturas preferidas de muitas culturas, porém,  não mais que a os franceses. Só nas eras do Renascentismo e do Impressionismo, foram retratadas inúmeras mulheres com flores. Mulheres e flores, na arte têm seu valor. São executadas à oleo, em acrílico, em pastel, aquarela, enfim, em todas as técnicas e cores por artistas célebres e outros de todo o mundo. Hoje pensei nas mulheres e flores ao ler um artigo sobre o Quartier Latin. E após um café, ali mesmo na mesa da confeitaria saiu 'Anna com um bouquet de Flores'.


Na moldura basic - 'Anna com um bouquet de flores'.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Uma adaptação pessoal nas artes quanto ao uso das tintas



Há tempos faço uso da aquarela e do lápis de cor. Uma medida conscienciosa, no meu caso, digamos assim. Observei que os solventes e óleos utilizados em algumas tintas produziam ardência nos olhos e dores de cabeça, apesar do ambiente ser arejado. E ao ler sobre o assunto, vi que deixaram de ser seguros para a saúde a partir do momento em que o mundo também teve suas experiências.O pós-conceito foi que o Homem tomou consciência de que as químicas que envolvem um produto desde a extração até seu meio final quase sempre não são seguros. Claro que se pode fazer o uso eficaz de luva e de máscaras durante o processo de criação, coisa que eu mesma fiz em meu atelier durante um tempo, até que resolvi romper de vez com a cansativa rotina de me equipar como um soldado para a guerra só para pintar. 
Hoje, meu trabalho se restringiu ao uso menos tóxico, livre e divertido, colorido e alegre das tintas feitas com os mesmos pigmentos que encantam as crianças na escola. Desde a Renascença, as tintas à base de óleos secativos, principalmente o de linhaça, banana ou copaíba, são as mais usadas nas Belas Artes, porém têm um cheiro muito ativo. A necessidade de se pensar no ambiental, fez com que ainda no século XX, as tintas a base de água como a aquarela que eu uso e também o acrílico, adquirissem popularidade como o desenvolvimento do acrílico e das tintas de látex mais brandas e algumas até "inodoras". As tintas a base de caseína, foram muito comuns no século XIX e ainda existem até os dias de hoje. A têmpera, que é uma emulsão de gema de ovo com óleo é mesmo hoje usada, como também a de cera encáustica é. Já o gouache é uma variedade de aquarela cremosa e opaca que vem sendo usada desde a Idade Média e é composto por um pigmento misturado com uma resina que pode ser a de goma arábica ou clara do ovo. Este meu trabalho acima, foi feito em erca de uns 30 minutos e foi executado com o gouache da marca Faber Castell alemã.


sábado, 27 de fevereiro de 2016

Perfeitos Retratos _ como devem ser?



Qual a definição de um retrato bem executado? Bem, este deve representar a essência interior do individuo retratado, mais que uma reprodução de perfeitas linhas do ponto de vista do artista e não apenas da aparência externa do reproduzido. Aristóteles, declarou que _"O objetivo da arte não é apresentar a aparência externa das coisas, senão o seu significado interno; pois isto, e não a aparência e o detalhe externos, constitui a autêntica realidade" _ o que é verdade, sabe-o bem os artistas visuais. Os artistas podem esforçar-se por um realismo fotográfico ou um parecido impressionista ou até de uma caricatura que visa revelar o caráter através da exageração dos traços físicos. O artista, em geral procura um retrato representativo, como afirmou Edward Burne-Jones: "A única expressão permitida na grande retratística é a expressão do caráter e da qualidade moral, nada temporário, efêmero ou acidental".


A História do Retrato

O retrato em grafite, colorido ou pictórico, que pode ser a lápis, aquarela, óleo, acrílico e outras técnicas, é um gênero da pintura com o objetivo de representar a aparência visual do retratado, em geral,  humano, embora possam ser tambpem representados os animais domésticos ou selvagens. Os retratistas trabalham quer por encomenda, tanto de pessoas públicas quanto de particulares, quer inspirados pela admiração ou pelo afeto para o protagonista ou pela repercussão que o indivíduo favorece ao seu meio social. Por vezes, são documentos de família ou de Estado, bem como para lembranças da pessoa retratada, como os de artistas de cinema ou ícones da literatura. Quando o artista retrata a si mesmo, chama-se de 'um auto-retrato'. Historicamente, eram representados somente os ricos e os poderosos. Era muito comum artistas que fossem adotados por famílias reais para que fizessem um registro da monarquia. Com o tempo, difundiu-se entre a classe média, a encomenda de retratos pelas famílias, colegas, por casais de namorados, por donos de animais de estimação, amados como a um familiar (*Encomende! Solicite por email e receba a forma de pagamento com toda a segurança via web e a obra pelo envio fácil, no endereço que quiser! _ luisadalartesa@gmail.com). Ainda atualmente, persiste a pintura de retrato como encomenda de governos, corporações, associações ou indivíduos. Dentro da hierarquia dos gêneros, o retrato tem uma postura ambígua _  por um lado, representa a uma pessoa feita à semelhança de Deus, mas pelo outro lado, para alguns pode tratar-se de glorificar a vaidade de uma pessoa, o que na verdade, representa apenas e somente o orgulho da Criação Daquele, cujo mérito é real e devido.







O fascínio pelos lápis que me trouxeram ao caminho e conhecimento da Arte


Os lápis de cor são uma espécie de lápis que são utilizados para pintura e outras atividades artísticas, primariamente do ambiente infanto-juvenil escolar e hoje entre os maiores e mais famosos artistas. Geralmente são comercializados nos representantes, nas lojas e nas papelarias em embalagens contendo 12, 24, 36, 48 ou mais unidades de cores diferentes. Contudo, ao invés de conter uma mina de grafite em seu interior, na verdade, os lápis de cor são preenchidos com minas de barro, goma, cera e pigmentos coloridos que tornam fascinantes estes produtos.

Quando eu era criança, tive uma professora chamada Alda e sempre no final do ano letivo, pelo meu bom desempenho como aluna em todas as matérias, ela me presenteava com uma caixa de lápis de 24 cores,que eu não conseguia esperar para chegar em casa e começar a usar. Hoje mais de 40 anos depois, continuo da mesma forma, encantada com os lápis e cada vez mais os usando em meus sketches e obras. Meus trabalhos sempre foram intuitivos. Não acredito na Arte com muitas explicações, fórmulas, técnicas e regras. A arte, para mim, é como o insight que dá em uma criança de 3 anos com um giz de cera e um papel. O desejo, a vontade, o ímpeto de criar e jogar no papel o que vem, no seu pensamento, naturalmente.


A arte de Luísa Dalartesa

Um pouco sobre a História do Desenho

O desenho tem sido um meio de manifestação estético e uma linguagem expressiva para o homem desde os tempos pré-históricos. Neste período, porém, o desenho, assim como a arte de uma forma geral, estava inserido em um contexto tribal-religioso em que acreditava-se que o resultado do processo de desenhar possuísse uma "alma" própria: o desenho era mais um ritual místico que um meio de expressão. À medida que os conceitos artísticos foram, lentamente, durante a Antiguidade separando-se da religião, o desenho passou a ganhar autonomia e a se tornar uma disciplina própria. Não haveria, porém, até o Renascimento, uma preocupação em empreender um estudo sistemático e rigoroso do desenho enquanto forma de conhecimento. A partir do Século XV, paralelamente à popularização do papel, o desenho começou a tornar-se o elemento fundamental da criação artística, um instrumento básico para se chegar à obra final (sendo seu domínio quase uma virtude secundária frente às outras formas de arte). Com a descoberta e sistematização da perspectiva, o desenho virá a ser, de fato, uma forma de conhecimento e será tratado como tal por diversos artistas, entre os quais destaca-se Leonardo da Vinci.
Mestres do desenho nos séculos XV e XVI incluem Leonardo da Vinci, Albrecht Dürer, Michelângelo e Rafael. No século XVII, destacam-se Claude, Nicolas Poussin, Rembrandt e Peter Paul Rubens. No século XVIII, Jean-Honoré Fragonard, Francisco Goya, Giovanni Battista Tiepolo, e Antoine Watteau. No XIX, Jacques Louis David, Edgar Degas, Theodore Gericault, Odilon Redon, Henri de Toulouse-Lautrec, Paul Cézanne e Vincent Van Gogh. Finalmente, no século XX, pode-se destacar Max Beckmann, Willem de Kooning, Jean Dubuffet, Arshile Gorky, Paul Klee, Oscar Kokoschka, Henri Matisse, Jules Pascin, Pablo Picasso.

Fonte: Wiki, Desenho: Luísa Dalartesa









O desenho


O desenho é um suporte artístico ligado à produção de obras bidimensionais, diferindo, porém, da pintura e da gravura, pois este sentido, o desenho é visto tanto como processo quanto como resultado artístico. No primeiro caso, refere-se ao processo pelo qual uma superfície é marcada aplicando-se sobre ela a pressão de uma ferramenta (lápis, giz, carvão, grafite, caneta ou pincel) e movendo-a de forma a surgirem pontos, linhas e/ou formas planas. O resultado deste processo portanto, também pode ser chamada de desenho. Desta forma, o desenho manifesta-se essencialmente como uma composição bidimensional formada por linhas, pontos e formas. A representação do homem vitruviano, como imaginado pelo célebre Leonardo da Vinci, é um dos desenhos mais conhecidos do mundo
O desenho envolve uma atitude do desenhista, o que poderia ser chamado de desígnio, em relação à realidade: o desenhista pode desejar imitar a sua realidade sensível, transformá-la ou criar uma nova realidade com as características próprias da bidimensionalidade ou, como no caso do desenho de perspectiva, a tridimensionalidade.

O Homem Vitruviano de Da Vinci, fonte: Wiki





Cascata de Taunay _ Taunay Waterfalls

Cores de uma alma _ Colors of a Soul


Google, o meu querido!



Depois não entendem porque sempre amei o Google. Aqui houve uma parceria.
Nunca tive chateações ou percebi mecanismos desonestos. Estou no Blogger há tanto tempo que eu terei de checar porque nem lembro, deve ter sido desde a época em que a internet veio para o Brasil, porque logo me familiarizei com a tecnologia e hoje, até, além de artista trabalho com ela. O meu relacionamento com sistemas e máquinas me fizeram conhecer os humanos por trás delas. Google e seus produtos. Eu te amo!  <3





Memórias II _ Memories II








Viver com Arte é muito Melhor

Doce Look _ Sweet Look

Speed Works



















Faces I _ Faces I






Amor em Paris _ Love in Paris

O quê? _ What?

Bela Adormecida _ Sleeping Beauty

Flash-Back Luísa Dalartesa